Como passar a envasar bebidas lácteas em garrafas PET com a Sidel no Global Dairy Innovation summit

Por ocasião do congresso Global Dairy Innovation Summit 2018, líderes da indústria abordam as principais inovações destinadas a responder aos desafios atuais do setor de laticínios Durante o evento, a Sidel ressalta as vantagens da transferência da produção de bebidas lácteas para garrafas PET a fim de favorecer o marketing, o custo-benefício e a produção flexível.

A Sidel é uma das líderes no fornecimento de equipamentos e serviços de acondicionamento de líquidos, alimentos, produtos para casa e cuidados pessoais em PET, lata, vidro e outros materiais. Por ocasião do congresso realizado em Amsterdã em 11 e 12 de abril, a Sidel mostrou como vem prestando apoio ao setor de bebidas lácteas no mundo inteiro para a passagem da produção para garrafas PET. Na qualidade de líder do mercado de produtos Assépticos em PET, particularmente de bebidas lácteas, a Sidel compartilhou sua experiência do ponto de vista do mercado e dos clientes de sucesso sobre a expertise em embalagens PET, bem como as soluções completas de linha de acondicionamento seguras e simples, dentre as quais o Sidel Aseptic Combi Predis™, equipamento aprovado pela FDA.

 

Mercado de bebidas lácteas de mudança para o PET

O uso do PET como material de embalagem deve continuar a aumentar no setor de bebidas lácteas, e as estimativas apontam para crescimento de 9% durante o período de 2018 a 2020[1]. Segundo previsões, a produção atual de 13,7 bilhões de embalagens PET deverá alcançar 14,9 bilhões de unidades em 2020. Quando analisamos mais de perto as tendências regionais do setor, o aumento do uso do PET é mais acentuado nos países da Europa e da Ásia Central, onde se prevê um crescimento de 7,5% na adoção de embalagens PET para bebidas lácteas no período. “Essa tendência surgiu na Europa há mais de 10 anos e vem se espalhando pelo mundo na distribuição de produtos refrigerados e em temperatura ambiente, leite longa vida, leite aromatizado e leite de soja, sendo ainda mais perceptível nos formatos ‘on-the-go’ (consumidos em movimento), contrariamente às embalagens ‘tamanho família’”, explica Naima Boutroy, Suporte Técnico Global para Embalagens da Sidel.

 

Boas razões para trocar pelo PET

O mercado de bebidas lácteas, tradicionalmente acondicionadas em embalagens cartonadas ou PEAD, está sendo influenciado pela crescente demanda de consumidores por bebidas funcionais e focadas na saúde, o que explica a explosão da diversificação de produtos. Devido ao grande número de lançamentos, os protagonistas do mercado de laticínios precisam diferenciar suas marcas e produzir com mais flexibilidade e melhor custo benefício. O PET é sem dúvida um material de embalagem atraente que oferece excelentes oportunidades nessa área.

Ao acondicionar leite e bebidas lácteas, diversos fatores, como microrganismos, luz, oxigênio e temperatura podem influenciar a qualidade da bebida. Em sua apresentação na conferência, Naima mostrou como receitas de bebidas e métodos de processamento perfeitamente definidos associados à garrafa PET certa e à solução de envase asséptico mais adaptada garantem a máxima integridade do produto ao longo da cadeia de suprimentos de bebidas lácteas, e ainda otimizam a operabilidade e os custos. “É importante lembrar aos grandes líderes do setor de laticínios como eles podem facilmente se beneficiar do PET em termos de oportunidades de marketing, produção flexível e custo-benefício. Com o desempenho certo da barreira, a embalagem PET garante total integridade e segurança, prolongando o prazo de validade e protegendo o produto contra a luz e o oxigênio. Isso já foi comprovado no plano internacional. Outra grande vantagem são as preformas monocamada e multicamada, disponíveis no mundo inteiro e que favorecem a competitividade da cadeia de suprimentos”.

 

Soluções completas de embalagem PET para bebidas lácteas

Um dos focos da conferência foi a apresentação dos recursos da Sidel para prestar apoio a todo protagonista do setor de laticínios que queira lançar um novo produto em garrafas PET ou trocar o material da embalagem do seu produto por garrafas PET. Com 50 anos de expertise em embalagens assépticas, a Sidel oferece soluções tecnicamente avançadas e totalmente integradas para o segmento de bebidas lácteas, utilizando o equipamento de processamento e recursos da Tetra Pak Processing Systems (TPPS). Ao longo dos anos, a Sidel e a TTPS associaram competências e expertise para elaborar e executar mais de 100 projetos de linhas completas. Com mais de 40 anos de expertise em embalagens PET, a Sidel pode ajudar a desenhar uma garrafa exclusiva e ergonômica, alinhada com as marcas de laticínios. “Podemos avaliar a resistência e o desempenho da garrafa PET ao longo de toda a cadeia de suprimentos. Realizamos testes laboratoriais nas condições reais da produção e da cadeia de suprimentos a fim de determinar os designs de embalagem mais adaptados, as soluções de barreira PET, tamanhos, formas, tampas e volumes de enchimento”, explica Naima.

 

Solução asséptica de sopro, enchimento e fechamento simples, segura e comprovada

Como prova evidente da liderança da Sidel em aplicações assépticas, Naima mencionou o sistema Combi Predis Asséptico da empresa. A solução reúne a esterilização seca de preformas e as funções de sopro, enchimento e fechamento em um único compartimento de produção, respeitando o conceito fundamental que estabelece as regras consagradas da embalagem asséptica: fabricação de um produto comercialmente estéril, envasado em área estéril, numa embalagem previamente esterilizada. A principal diferença em relação à tecnologia asséptica tradicional é que a fase de esterilização da embalagem é realizada na preforma, e não na garrafa. Isso proporciona várias vantagens, como segurança e simplicidade, ótimo custo-benefício, utilização de pouquíssimos produtos químicos e nada de água. As mais de 100 Combi Predis Assépticas instaladas em diversos países evidenciam a aprovação dessa tecnologia Para dar mais um indicador da confiabilidade do sistema, recentemente a Sidel recebeu a aprovação da FDA (Food and Drug Administration) para sua enchedora de sopro, enchimento e fechamento Combi Predis Asséptica, o que fez dela o primeiro equipamento de enchimento PET com esterilização seca de preforma a ser validado para fabricação e distribuição comercial de bebidas de baixa acidez no mercado dos Estados Unidos.

A conferência incentivou o compartilhamento de conhecimentos e o contato entre palestrantes e participantes. “Depois da nossa apresentação, houve uma ótima interação com o público, que queria mais informações sobre os vários cases de sucesso de grandes laticínios, os desafios enfrentados e as oportunidades aproveitadas, para poderem se espelhar nesses exemplos”, conclui Naima.

 

[1] Fonte Euromonitor 2017

VAT No.: IT01787680345